• Português
  • English
  • notícias

    Novas tecnologias permitem tratamento de rejuvenescimento da pele no consultório dermatológico

    O envelhecimento da pele é um processo natural, que se dá pela gradativa redução na produção de colágeno e elastina na derme (que ficam na camada intermediária da pele) a partir dos 25 ou 30 anos de idade. O colágeno é a proteína responsável pela estrutura e sustentação de tecidos e órgãos do nosso corpo, enquanto a elastina dá elasticidade à pele. O entendimento cada vez profundo desse processo pela Dermatologia tem levado ao desenvolvimento de novos tratamentos médicos que proporcionam o rejuvenescimento cutâneo com procedimentos não invasivos ou minimamente invasivos – ou seja, uma alternativa à cirurgia plástica que é menos traumática, mas totalmente segura e eficaz.

     

    Entre esses novos tratamentos, estão os bioestimuladores de colágeno, micropartículas sintéticas que, quando injetadas na pele, provocam uma reação nos fibroblastos (as células responsáveis pela síntese de colágeno e elastina). “Ao reagirem, as células passam a produzir mais colágeno, melhorando a textura e a sustentação da pele”, explica a doutora Natalia Cymrot, dermatologista formada pela Universidade de São Paulo (USP) e membro titular da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD). “Como é um processo natural do organismo, o resultado de rejuvenescimento também é natural”, completa.

     

    O bioestimulador utilizado pela clínica Natalia Cymrot Dermatologia, localizada na Zona Oeste da cidade de São Paulo, é o ácido poliláctico (Sculptra®), substância que é absorvida pelo organismo. O procedimento minimamente invasivo consiste na aplicação de injeções na área a ser tratada, por isso pode ser realizado com total segurança no consultório e sem necessidade de o paciente se afastar de suas atividades diárias.

     

    Os resultados do tratamento com bioestimuladores de colágeno são graduais e duradouros: os sinais de envelhecimento, como marcas de expressão e flacidez, começam a se suavizar cerca de três semanas após a primeira sessão, e os resultados permanecem por até 25 meses.

     

    Outra tecnologia que estimula a produção natural de colágeno é o Fotona 4D, aparelho de última geração que combina dois tipos de laser em um tratamento em quatro dimensões: reduz a flacidez da pele e atenua rugas e linhas de expressão, melhora a textura e o contorno. A quarta dimensão é o tempo: a produção natural de colágeno continua sendo estimulada meses após a aplicação do laser. “O resultado do tratamento não invasivo com laser Fotona é muito natural, e tem a grande vantagem de não trazer desconforto ao paciente”, afirma a dermatologista Natalia Cymrot.

     

    O Fotona 4D também age como um minilifting: se aplicado na raiz do couro cabeludo, por trás das orelhas e do pescoço, o laser estimula a produção de colágeno nessas regiões, o que traciona os tecidos da face para cima e lateralmente. O laser também pode ser aplicado com total segurança em torno dos olhos, de forma a atenuar ruguinhas e olheiras, e dentro da boca, melhorando o aspecto dos lábios e da pele em torno deles.

     

    É importante ressaltar que cada paciente tem um protocolo de tratamento ideal para seu caso. Portanto, é recomendado consultar um médico dermatologista qualificado para fazer uma avaliação de diagnóstico. “A partir dessa avaliação, e após conversar com o paciente sobre o que espera do tratamento, estabelecemos um plano específico de tratamento. Assim, temos o melhor resultado possível”, conclui a médica.

     

    Para saber mais sobre os benefícios dos tratamentos não cirúrgicos de rejuvenescimento da pele, agende uma consulta na clínica Natalia Cymrot Dermatologia.

     

    Deixe seu comentário